Falar sobre dinheiro é sempre difícil, principalmente quando você está preocupado sobre como seus filhos vão se adaptar a um aumento repentino no patrimônio da família.

"Nós somos ricos?" Lina ficou chocada ao chegar em casa do trabalho e ser surpreendida por esta pergunta da sua filha Natalie, de nove anos. Ela havia tentado por tanto tempo garantir que seus filhos tivessem uma vida "normal", apesar do sucesso da sua empresa. Sim, eles tiravam férias maravilhosas e moravam em uma casa confortável, mas nada extravagante. O que iria acontecer quando a imprensa noticiasse quanto foi a parte que ela receberia da venda da sua empresa, em algumas semanas? Isso iria distorcer completamente o senso de propósito e valores da Natalie e seus dois irmãos mais velhos? Seus amigos iriam tratá-la de forma diferente?

Como falar sobre dinheiro com os meus filhos?

Quando as famílias consideram o que querem que seus filhos saibam, há objetivos universais comuns ao se criar filhos para se tornarem adultos responsáveis. Entretanto, muitas famílias expressaram suas preocupações na hora de discutir seu patrimônio e a parte mais difícil vem quando precisam iniciar a conversa: como falar sobre dinheiro com os meus filhos?

É verdade que falar com seus filhos sobre dinheiro pode levar a muitos problemas. Em alguns casos, se trata de crenças culturais, onde falar sobre dinheiro é tabu. Em outros, as pessoas estão preocupadas em tirar o senso de motivação ou propósito dos filhos na vida, ou acham que os filhos podem ver o patrimônio como um peso, em vez de uma oportunidade. Entretanto, evitar falar sobre dinheiro pode ter consequências não pretendidas, como os filhos sentirem que não se confia neles, ou se sentirem desprezados ou despreparados. A falta de comunicação sobre dinheiro e seu propósito e não ter um processo claro para a tomada de decisão em questões financeiras pode afetar negativamente a harmonia familiar. Um estudo realizado em 2003 mostrou que 70% das famílias não conseguiam transferir seu patrimônio de maneira adequada além da terceira geração, e o principal motivo foi a quebra de comunicação e confiança em 60% dos casos.

Como posso ensinar meu filho a lidar com dinheiro?

A riqueza pode criar oportunidades e desafios para a geração mais jovem, trazendo resultados positivos e negativos. No J.P. Morgan Private Bank, trabalhamos com um educadora renomada, Susan Doty, para desenvolver um guia prático para os pais e avós sobre como preparar os filhos para a riqueza - financeira, social e emocionalmente. Não há fórmula mágica, e o que as crianças precisam saber sobre dinheiro deve ser introduzido em etapas e adequado a cada idade. O objetivo de tais atividades é ajudá-los a entender conceitos e hábitos fundamentais com o passar dos anos. De acordo com Maya Prabhu, Head de Consultoria de Patrimônio EMEA, a compreensão das crianças sobre dinheiro é criada cumulativamente com o passar do tempo, por meio de informações verbais e não verbais.

Dentro do processo de empoderar seus filhos em relação a questões financeiras, o primeiro passo é entender o que eles precisam aprender. Nossos especialistas identificaram sete habilidades que podem ajudá-los a lidar de forma eficaz com o patrimônio, apoiando o processo de tomada de decisão alinhado aos valores familiares:

Imagem A: entenda o que seus filhos precisam aprender

Fonte: J.P. Morgan, Teaching Your Children About Wealth – A Guide For Parents And Grandparents, 2018
A Imagem A mostra as sete habilidades fundamentais que apoiam a tomada de decisões informadas, alinhadas com os seus valores familiares.

Imagem B: Use atividades para ajudar a transformar objetivos em realidade.

Fonte: J.P. Morgan, Teaching Your Children About Wealth – A Guide For Parents And Grandparents, 2018
A Imagem B mostra atividades adequadas a cada idade que podem transformar objetivos em realidade.

Para crianças em idade pré-escolar, por exemplo, manter um cofrinho pode ajudar a reforçar a ideia de recompensa adiada. Essa idade é um bom momento para introduzir a mesada, com um cofrinho simples evoluindo para três potes transparentes com etiquetas de "gastar", "economizar" e "compartilhar". A jornada se desenvolve em um maior planejamento de gastos e jogos simulando o mercado de ações na adolescência, culminando em um plano para a vida e planejamento de despesas futuras quando forem jovens. Quando seu filho atingir a idade de seis anos, é um momento apropriado para começar a ensiná-lo sobre as principais habilidades de segurança cibernética e na internet.

É importante ser um bom exemplo para seus filhos, ao articular e demonstrar os seus valores familiares. Os valores compartilhados podem unir a sua família e ajudar a definir sua atitude com o propósito de acumular patrimônio e orientar a tomada de decisão em questões financeiras. Como diz o ditado, "as ações falam mais do que as palavras", e como você e sua família colocam em prática seus valores é fundamental. Por exemplo, se os pais pretendem reforçar o gasto frugal como um de seus valores, mas tira várias férias luxuosas, pode ser confuso para os filhos.

Como posso envolver meus filhos em questões financeiras?

Uma questão importante que os clientes nos perguntam é se elas precisam revelar seus extratos caso entrem nessa conversa com seus filhos sobre patrimônio. A resposta é não. As discussões em torno de princípios, propósitos e valores pode ser realizada sem mencionar números, o que pode deixar para ser compartilhado quando todos estiverem mais confortáveis em falar sobre dinheiro. No mundo atual, muitas informações estão disponíveis prontamente on-line, mas os filhos (ou os amigos deles) podem saber ou adivinhar a situação financeira da família de qualquer forma.

Então, como Lina respondeu à pergunta da sua filha Natalie? Ela explicou que elas estavam confortáveis financeiramente, e teriam mais do que o necessário após a venda da empresa em algumas semanas. Lina então perguntou o que a fez perguntar aquilo. Natalie respondeu que a sua melhor amiga tinha ouvido falar que sua família era muito rica.

Lina programou uma reunião da família no domingo à noite, pois tinha um projeto que gostaria de discutir. Com a venda a sua empresa prestes a se concluir, ela contou que gostaria de criar uma fundação beneficente para compartilhar um pouco do que ganhou. Isso representou o valor familiar de "compartilhar", uma palavra bastante conhecida de Natalie e de seus irmãos, que a ouviam constantemente, principalmente quando brigavam pelos brinquedos. O projeto familiar envolveu escolher um nome para a fundação beneficente. A Lina convidou Natalie e seus irmãos para discutirem e proporem um nome na próxima reunião de família, que fariam em duas semanas. As crianças fizeram o dever de casa e depois de muito debate, propuseram o nome "A Fundação Feliz", pois queriam fazer outras crianças felizes por meio de seu trabalho de caridade.

Natalie agora tem 28 anos e, junto com seus pais e irmãos mais velhos, é a administradora do patrimônio familiar e está no conselho da Happy Foundation, a “Fundação Feliz”. Ela descreve a fundação como a linha de ouro que perpassa a identidade e propósito da sua família. É fundamental discutir o significado e o propósito do seu patrimônio; definir os fundamentos da comunicação e tomada de decisão da família a respeito de dinheiro; e aprender lições cruciais sobre dinheiro ao examinar os balancetes e investir nos recursos da fundação.

Natalie também conta que a fundação deu a ela e seus irmãos uma noção de realização, ao tornar o mundo a seu redor um lugar melhor. Cada um dos irmãos também teve a oportunidade de contribuir com a fundação, primeiro com parte da sua mesada e agora de seus salários, dando a eles um forte senso de responsabilidade sobre a filantropia da família. Além da filantropia, projetos familiares como o planejamento de férias também podem ser uma forma divertida de aprender sobre o preço das coisas e as escolhas financeiras.

Preparar a próxima geração para a riqueza pode ser uma jornada recompensadora que aproxima a família ainda mais. Há muitas formas de abordar esse processo que cabem nos valores e preferências da sua família. 

 

No J.P. Morgan, podemos ajudá-lo nos seus esforços para orientar seus filhos e dar bons exemplos. Não hesite em falar com seu consultor do J.P. Morgan, para saber mais e para qualquer ajuda com as suas necessidades de planejamento de patrimônio.