Nossas casas, onde geralmente nos sentimos mais seguros e relaxados, muitas vezes são menos seguras em relação a questões cibernéticas do que imaginamos, especialmente se as crianças utilizam nossas redes.

Desde que a pandemia se espalhou pelo mundo, muitas pessoas têm realizado mais atividades escolares, de trabalho e da vida social virtualmente, ou como se diz popularmente de forma on-line. Porém, os criminosos nos seguiram, e tornaram-se criminosos cibernéticos — visualizando mais oportunidades de ter acesso às nossas informações financeiras e pessoais.

Nossas casas, onde geralmente nos sentimos mais seguros e relaxados, muitas vezes são menos seguras em relação a questões cibernéticas do que imaginamos, especialmente se as crianças utilizam nossas redes.

De fato, ataques por phishing aumentaram 667% quando a crise da COVID-19 atingiu em cheio os Estados Unidos, de acordo com uma empresa americana de segurança que mensurou os ataques aos sistemas monitorados por ela entre o final de fevereiro até o final de março.1

Então, o que você e sua família estão fazendo para se manterem seguros neste momento?

Veja algumas dicas de segurança para internet, aparelhos e redes. Você pode não conhecer algumas delas. Outras são apenas bons lembretes. Todos esses conselhos são válidos, estando você e sua família em quarentena ou livres para perambular pelo mundo.

Nunca é demais reforçar a importância de garantir que todos os aparelhos da sua casa tenham um programa antivírus. Com "todos os aparelhos", queremos dizer desktop, notebook/laptop, tablets e celulares usados por cada uma das pessoas da família.

Os hackers criaram malwares para todo tipo de aparelho e sistema operacional. O antivírus é recomendado para os produtos Apple, assim como Windows e Android.

Também é importante que você tenha as versões mais recentes dos sistemas operacionais e aplicativos. Normalmente, é possível encontrar upgrades de software no menu "configurações" dos seus aparelhos.

E use somente as fontes de confiança reconhecidas, sempre que você ou sua família comprarem ou baixarem aplicativos.

É você quem melhor vai cuidar da segurança dos seus aparelhos!

Ter duas redes em casa é uma boa precaução e também é vital para quando você e seus filhos estão trabalhando, socializando, estudando, brincando e se entretendo on-line.

  • Uma rede é o seu "cofre"—Use para todas as transações sensíveis: trabalho remoto, banco, compras on-line, etc.
  • A segunda rede é a sua "sala de estar"— Use para as atividades sociais, escola, games e entretenimento.

Toda vez que definir uma rede, sempre mude a senha original para uma que somente você e sua família saibam. Para ajudar todo mundo na sua casa a lembrar dos diferentes usos das duas redes, dê a elas nomes distintos (como "cofre" e "sala de estar").

Por que fazer este esforço? A recompensa é enorme para a segurança da rede. Ter dois ambientes virtuais separados ajuda afastar os golpistas de usar a sua rede de lazer e outras atividades, que podem ser menos seguras, para obter acesso às suas informações confidenciais financeiras e pessoais.

Algumas precauções simples podem ajudar a tornar as plataformas de videoconferência mais seguras:

  • Familiarize-se com as configurações de segurança e privacidade.
  • Crie uma senha para todas as reuniões e preste atenção em quem pede para entrar.
  • Evite compartilhar muitas coisas, mantendo informações pessoais visualmente protegidas. Considere usar um cenário virtual ou reveja os objetos que a sua câmera mostra (se as pessoas conseguem ver seus diplomas, fotos de família, sistemas de segurança, etc.)
  • Proteja seus aparelhos de vídeo com um protetor de webcam. É bom ter certeza que a câmera está bloqueada quando você não a estiver utilizando.
  • Considere modificar seu nome do perfil. Você pode querer evitar revelar sua identidade, principalmente quando estiver participando de uma reunião pública por vídeo.

Mude suas senhas regularmente e garanta que cada uma delas seja longa e complexa.

A forma ideal de criar uma nova senha é garantir que contenha (1) uma frase, música favorita ou título de livro (2) não apenas letras maiúsculas e minúsculas, mas também numerais e caracteres especiais. Pense em usar um gerenciador de senhas de confiança para ajudá-lo a gerenciar e mudar as senhas regularmente.

Utilize alertas e autenticação de múltiplos fatores (MFA) como uma segunda camada de proteção sempre que forem oferecidos.

A MFA é uma das camadas mais fortes de segurança que você pode adicionar para evitar que sua conta seja invadida, e está disponível não apenas para o seu banco on-line, mas também para os e-mails, mídias sociais e contas em sites de compra. Aproveite.


Não acredite que qualquer solicitação seja genuína, seja por e-mail, telefone ou redes sociais. O fato de os solicitantes saberem algumas informações sobre você e a sua família ou empresa não significa que sejam legítimos. Golpes relativos ao coronavírus estão aumentando. Os cibercriminosos estão de olho no desejo das pessoas por informação e vontade de ajudar os outros.

Quando as pessoas ligam ou mandam e-mail buscando informações, confira se realmente são elas por outro meio de comunicação, para verificar a identidade e solicitação. Ligue de volta antes de compartilhar qualquer informação pessoal.

Inscreva-se para receber Perspectivas.

Lembre-se, o J.P. Morgan nunca irá:

  • Pedir que você faça login no mesmo computador com as credenciais de mais de um usuário.
  • Pedir para que você envie as credenciais de acesso repetidas vezes.
  • Entrar em contato com você sobre problemas on-line, como acesso, se você não tiver nos contatado primeiro.

Para mais informações, acesse nosso site de cibersegurança, clicando aqui.

 

1 Fleming Shi, “Threat Spotlight: Coronavirus-Related Phishing,” Barracuda Networks. 26 de março de 2020. https://blog.barracuda.com/2020/03/26/threat-spotlight-coronavirus-related-phishing/

Este artigo é fornecido apenas para fins educacionais e informativos e não se destina, nem deve ser invocado, a abordar todos os aspectos do assunto discutido aqui. As informações fornecidas neste artigo têm como objetivo ajudar os clientes a se protegerem de fraudes cibernéticas. Ele não fornece uma lista abrangente de todos os tipos de atividades de fraude cibernética e não identifica todos os tipos de práticas recomendadas de segurança cibernética. Você, sua empresa ou organização é responsável por determinar a melhor forma de se proteger contra atividades de fraude cibernética e por selecionar as melhores práticas de segurança cibernética mais adequadas às suas necessidades. É estritamente proibida qualquer reprodução, retransmissão, disseminação ou outro uso não autorizado deste artigo ou as informações aqui contidas por qualquer pessoa ou entidade.